quarta-feira, 2 de março de 2016

Famíli_aler+




ANIMAR A LEITURA – FAZER TEATRO EM FAMÍLIA: a dramatização
Olá Famílias!!!
Aqui está de novo a equipa das bibliotecas escolares do agrupamento de escolas da Venda do Pinheiro - AEVP para partilhar convosco, algumas “dicas” que vos proporcionarão momentos FELIZES de cumplicidade, diversão e BOAS experiências a Ler+ em Família!
Ora vamos lá!
A ideia mantém-se a do “post” anterior: porque não brincar com as histórias que vão lendo – ou inventar as vossas próprias – criando momentos de teatro em família.
Sobre as mais-valias que esta atividade traz aos vossos filhos, já tínhamos apontado alguns tópicos, que recordamos:
- estimula a criatividade e a oralidade, bem como a desinibição;
- ajuda as crianças a fazer o reconto das histórias e a perceber o que é passar da narrativa na terceira pessoa (a história que leram em conjunto) para o discurso direto (viver a personagem e pô-la a falar e a dialogar com as outras);
- viabiliza momentos de partilha e cooperação entre crescidos e pequenos, pura diversão, tanto na fase da representação propriamente dita como na fase da elaboração das roupas e adereços das personagens, cenários, adereços de cena, etc. E é uma excelente atividade que permite planear, fasear e cooperar até chegar ao momento da grande estreia.
Para abrilhantar o espetáculo podem fazer os bilhetes, convidar primos, avós e vizinhos, arranjar uma banda sonora… enfim, dar largas à imaginação e deitar mão à obra!
Vamos agora dar-vos algumas pequenas sugestões para levar a cabo estas teatradas em família!
1.º Não é obrigatório fazer o teatro de toda a história que leram, podem escolher um dos momentos da história e concentrarem-se nesse para o representar.
2.º Também não são necessárias grandes costuras: basta “assaltar” o roupeiro da mãe e do pai e logo teremos lindas “mini-senhoras” de saltos altos, cavalheiros de gravata e casaco… Depois, umas pinturazitas que a mãe já não usa tanto podem fazer maravilhas, pintar borboletas na cara, bigodes farfalhudos, etc, etc.
3.º É preciso ensaiar, está claro! É importante que as crianças tentem inventar uma voz para a sua personagem, de alguma forma serem fiéis à cena do livro que vão representar e para isso terão que ter a ajuda dos crescidos. Chama-se a isto, no fundo, compor a personagem e dá às crianças a experiência de se pôr na pele de um outro, o que é interessante como experiência relacional, numa fase em que todos sabemos que as crianças são naturalmente egocêntricas.
4.º Ah! Não se esqueçam de que com papel ou cartolina, tesoura e lápis de cera, canetas de feltro ou tintas e fita-cola ou agrafador (as crianças adoram aprender a experimentar instrumentos e utensílios, com a nossa supervisão, é claro!) podem surgir do pé para a mão orelhas de gato, chapéus de palhaço, saias de havaiana… Toca a pôr a imaginação a funcionar, sentar no chão e fazer um pouco de confusão!
E pronto, mãos à obra e um desafio final:
Enviem-nos fotos das vossas teatradas! Tentando não mostrar as caras (se estiverem caracterizadas de modo a que não se identifique quem é pode ser), podem ter outas ideias, tais como fotografar adereços, cenários, cenas com máscaras… Inventem! Será interessante e estimulante, pensamos nós, que as famílias partilhem umas com as outras – e nós poderemos facilitar – as suas experiências a Ler+ em Família. Cá ficamos à espera!

terça-feira, 1 de março de 2016

Tarte de Mamute

Olá amiguinhos!
Depois do Pedro contar à sala amarela a história "Tarte de Mamute, de Jeanne Willis, a Sala Amarela e a Educadora Carla fizeram estas prendas para o Papa-Letras. 
Obrigado amigos, está muito bonita e deve ser tão deliciosa.